CVV duplica atendimento após ligações passarem a ser gratuitas

Média mensal de atendimentos em Santos pelo telefone 188 passou de 1,5 mil para 4 mil

16/04/2018 - 08:30 - Atualizado em 16/04/2018 - 08:34

Ligação passou a ser gratuita no Estado há sete meses (Foto: Fernanda Luz/AT)

A implantação de um serviço telefônico com ligações gratuitas do Centro de Valorização à Vida (CVV) pelo telefone 188 fez com que o número de atendimentos duplicasse. No Brasil, no ano passado, a entidade passou de um milhão de chamadas, para dois milhões. Em Santos, a média mensal subiu de 1.500 para 4 mil atendimentos e, em São Vicente, a procura dobrou para 1.400 ligações.

O serviço sempre foi gratuito, mas quem ligava para pedir ajuda arcava com os custos da ligação. “O fato de não precisar mais pagar é muito importante. Já chegamos a receber chamadas de pessoas desesperadas, falando que tinham que ligar naquele dia, pois não sabia se o telefone seria cortado no dia seguinte”, conta Renato Caetano de Jesus, voluntário e porta-voz do CVV em Santos.

De acordo com ele, 90% das ligações vêm de telefones celulares. “Antes de ser gratuito, cada posto de cidade tinha seu telefone próprio. Se a pessoa precisava entrar em contato e a linha estava ocupada, no momento de necessidade, se optava até por ligar para outra região e fazer interurbano. Agora, esse novo sistema facilita muito”, afirma Caetano.

A gratuidade foi garantida após a assinatura de um convênio com o Ministério da Saúde, para a implantação do 188. O projeto piloto começou no Rio Grande do Sul há dois anos e foi ampliado gradualmente.

No Estado de São Paulo, o serviço gratuito passou a funcionar no final de setembro do ano passado. As chamadas ainda são pagas na Bahia, Maranhão, Pará e Paraná, onde o CVV funciona com o número 141, mas a promessa é de que a partir de 1º de julho estes estados sejam integrados ao 188.

Outros canais

O telefone é uma das ferramentas principais para quem busca apoio e necessita de uma conversa ou simplesmente desabafo. O CVV também mantém conversas com voluntários por chat (sala de bate-papo pela internet), e-mail ou até por Skype, um programa que faz videoconferência, mas que neste caso, para manter o anonimato da pessoa, a conversa acontece por mensagem, sem imagem ou voz.

Buscando voluntários

O aumento da demanda fez com que o Centro de Valorização da Vida (CVV) pensasse no reforço de suas fileiras de voluntários. Se antes o CVV de Santos realizava duas capacitações ao ano para os interessados em atuar no atendimento, isso também foi ampliado. A primeira turma de 2018 já está passando pelo curso e novos grupos devem ser chamados para treinamento em junho e agosto. 

Quem quiser participar, pode se inscrever no site da entidade, o www.cvv.org.br, no link ‘voluntário’. Como o propósito da entidade não é substituir os serviços médicos e psicológicos, mas oferecer apoio emocional a quem passa por momentos de desespero, quem quer ser voluntário não precisa necessariamente ter uma formação voltada para estas áreas.

Veja Mais