Custeio do Estivadores terá incremento de R$ 1 milhão a partir de julho

Recurso vai garantir a ampliação gradativa das atividades do complexo clínico santista

14/06/2018 - 14:23 - Atualizado em 14/06/2018 - 14:27

A Secretaria de Estado da Saúde vai aumentar em 38,5% o repasse para o custeio mensal do Hospital dos Estivadores, a partir de julho. O maior volume de verba foi anunciado nesta quarta-feira (14) por Márcio França. O recurso vai garantir a ampliação gradativa das atividades do complexo clínico santista, chegando ao final do ano com até 60% de sua capacidade de leitos.

Em dinheiro, a cota mensal do Estado no hospital terá incremento de R$ 1 milhão – saltando dos atuais R$ 2,6 milhões para R$ 3,6 milhões. “São investimentos em Santos que vão beneficiar toda a região”, afirma o deputado estadual Caio França (PSB).

O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) destaca que a ampliação da verba se deve ao caráter metropolitano do complexo. “Trata-se de um hospital regional, que atende mais aos moradores de outros locais que da Cidade”.

O mandatário santista revela que o recurso adicional fará a capacidade de atendimento ser ampliada dos atuais 81 leitos para 130. A quantidade representa 60% dos 223 quartos projetados inicialmente para a unidade. 

Segundo o secretário municipal da Saúde, Fábio Ferraz, a meta é chegar até o final do ano com o funcionamento dos 130 leitos, conforme cronograma estabelecido no contrato com o Instituto Social Hospital Alemão Oswaldo Cruz – gestora da unidade.

Mais ministério 

O titular da pasta acrescenta que a ampliação da unidade continuará em etapas até atingir 223 leitos. Para isso, Barbosa pede maior participação do Ministério da Saúde para o custeio do complexo. “Com mais recurso do Governo Federal, como o apoio que temos do Estado, chegaremos a 100% dos leitos (em atividade). O correto seria que houvesse uma proporcionalidade, já que a União é o ente que mais arrecada (impostos)”.

Atualmente, o Governo Federal arca com R$ 618 mil por mês. A partir de julho, a pasta vai ampliar a participação para cerca de R$ 1 milhão ao mês. A intenção da Prefeitura é elevar a responsabilidade da União para a metade do custeio do Hospital. 

Para isso, o chefe do Executivo santista destaca o caráter metropolitano do espaço. Dados do Paço santista assegura que dois em cada cinco atendimentos no local são prestados para moradores de outras cidades da região.

Veja Mais