Correios lança campanha Papai Noel e selo comemorativo do Natal

Ação idealizada por funcionários já existe há 28 anos

10/11/2017 - 20:13 - Atualizado em 10/11/2017 - 20:28

Os selos de Natal são inspirados no
conto"O Soldadinho de Chumbo"

As crianças que escrevem cartas ao Papai Noel e enviam pelos Correios já podem ter a esperança do pedido atendido. Nesta sexta-feira (10), em São Paulo, foi lançada a Campanha Papai Noel dos Correios 2017. Também foram lançados os tradicionais selos de Natal, desta vez inspirados no conto de Natal O Soldadinho de Chumbo, do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen.

A campanha nacional contempla cartas de quaisquer crianças ao Papai Noel e também cartas de estudantes de escolas da rede pública até o 5º ano do ensino fundamental, além de instituições parceiras, como creches, abrigos, orfanatos e núcleos socioeducativos. Desde 2010, os Correios fazem a parceria a fim de trabalhar ações como o desenvolvimento da habilidade da redação de carta, o endereçamento correto e o uso do CEP.

A campanha começou por iniciativa dos próprios empregados e se consolidou, ao longo dos últimos 28 anos, como uma das maiores campanhas natalinas e uma das principais ações de responsabilidade social dos Correios.

“Mais uma vez podemos participar com os funcionários da campanha mais solidária dos Correios, levando alegria e sorrisos na noite de Natal”, disse o presidente dos Correios Guilherme Campos. Ele também convidou a sociedade para colaborar na ação. “Convido todos a participarem. Venham, retirem uma cartinha, é um movimento de solidariedade para levar um pouco de alegria, esperança e um brilho na noite de Natal”.

Crianças de duas escolas públicas de Caparapicuíba, na região metropolitana de São Paulo, foram ao Prédio Histórico dos Correios, em São Paulo, para ver de perto a chegada do Papai Noel e entregar as cartas pessoalmente O estudante Gustavo Ferreira de Moraes Rodrigues, de 7 anos, disse que pediu um celular de Natal, mas que gostou mesmo foi de ver o Papai Noel pela primeira vez. “Agora eu acredito no Papai Noel, nunca tinha visto um, não acreditava.”

A menina Maria Eduarda Santana de França, de 8 anos, pediu duas bonecas e disse que gostou da campanha. “Gostei disso que os Correios estão fazendo, porque tem muita criança que não acredita [no Papai Noel], que amadurece muito rápido e acaba não acreditando, mas isso pode fazer elas mudarem”.

Somente nos últimos três anos, foram recebidas mais de 2,5 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel dos Correios.

Como funciona

A adoção na campanha é feita da mesma maneira em todo o Brasil. As cartas enviadas pelas crianças são lidas e selecionadas. Em seguida, são disponibilizadas na casa do Papai Noel ou em outras unidades da empresa. Os Correios não entregam cartas para adoção diretamente à população, em suas residências. As cartas do Papai Noel dos Correios ficam disponíveis apenas nos locais indicados pela empresa.

Para ser um padrinho ou madrinha, basta ir em uma agência, escolher uma carta e depois entregar o presente na mesma unidade, para que posteriormente a entrega seja feita no próprio fluxo postal pelos Correios. Não é permitida a entrega direta do presente. Para assegurar a observância desse critério, o endereço da criança não é informado ao padrinho.

A aposentada Marialva Veloso participa da campanha há 15 anos e já adotou 16 cartas. Para ela, a campanha é uma oportunidade de ajudar crianças carentes. “Eu me considero uma ajudante do Papai Noel e os Correios dão essa oportunidade a todos que puderem e quiserem ajudar”.

Adoção de cartas on-line

Este ano, o Papai Noel dos Correios contará com uma novidade: o piloto da adoção de cartinhas on-line em algumas localidades. Moradores das cidades de Belém, Cuiabá, Porto Alegre, Recife e São Paulo (região metropolitana) poderão adotar uma cartinha on-line no período de 13 a 24/11/2017 no endereço http://blog.correios.com.br/papainoeldoscorreios.

Selo comemorativo

Os Correios também lançaram hoje os tradicionais selos de Natal, desta vez inspirados no conto de Natal O Soldadinho de Chumbo, do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen. A coleção é composta por um bloco e quatro selos isolados, com os elementos da história: o boneco malvado, a bailarina, o peixe e o barco. “Tentei ao máximo colocar minhas influências, e como sou brasileira, tentei dar uma 'tropicalizada' no design da roupa da bailarina. Também coloquei muita textura”, disse a ilustradora dos selos, Nathanna Érica Araújo.

Os selos podem ser adquiridos a partir de hoje em qualquer agência dos Correios.

Veja Mais