CET-Santos quer fechar trecho da avenida para fila da balsa

Companhia quer tornar a Avenida da Praia exclusiva para quem for fazer a travessia

18/05/2017 - 11:00 - Atualizado em 18/05/2017 - 11:00

Com tráfego intenso, quem deseja pegar ônibus deve andar entre os carros (Foto: Irandy Ribas/ AT)

Entre buzinas e xingamentos, usuários de ônibus, clientes do Mercado de Peixe, motoristas e motociclistas que querem acessar a balsa disputam o mesmo espaço.

Todo dia é assim na Ponta da Praia, em Santos. Por isso, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) pensa em fazer alterações na fila da balsa. Uma delas é tornar a Avenida da Praia exclusiva para quem for fazer a travessia.

A proposta da CET é, a partir do Canal 7, deixar as três faixas da Avenida Saldanha da Gama apenas para quem for acessar a balsa. Hoje, as filas ficam em uma ou duas faixas da via. Com a mudança, os veículos que não querem atravessar para Guarujá devem, obrigatoriamente, virar à esquerda na Avenida San Martín (Canal 7).

A entrada para os veículos com prioridade continuaria sendo feita pela Avenida Rei Alberto I, mas seria construído um novo acesso com capacidade para acomodar mais que o dobro de veículos. 

O problema

Hoje, o acesso à fila da prioridade, de veículos de emergência, com hora marcada e das motos é o mesmo: em frente ao Mercado de Peixes. Isso vem causando problemas, na opinião das pessoas ouvidas por A Tribuna e também na visão da CET.

O principal problema é que a fila da prioridade, que começa na Rei Alberto e termina no Mercado de Peixe, passa em frente a um ponto de ônibus pouco antes do acesso dos veículos. Com isso, os usuários do transporte coletivo são obrigados a pegar os ônibus no meio da rua, porque eles não conseguem encostar na calçada.

“Já vi gente quase ser atropelada. Essas coisas acontecem sempre”, relata a auxiliar administrativo Ana Carolina Gonçalves, que trabalha ali perto. “Você está sempre exposto a um acidente quando vai subir no ônibus. Tinha que estudar isso aí. Vai esperar alguém morrer, questiona Odair Ramos, técnico de planejamento.

A mudança é, também, uma reivindicação antiga de quem trabalha no Mercado de Peixe, pois os comerciantes acham que o trânsito pesado no local prejudica as vendas. “Olha como fica, ninguém consegue encostar o carro, nem sair. Tudo travado”, reclama o vendedor de peixe Emanuel Andrade.

Solução

Tornar o trecho da Avenida da Praia restrito à fila da balsa é a saída aponta pela CET. “Com a mudança, vamos eliminar o conflito com o ponto de ônibus e dar fluidez (ao tráfego) em torno no Mercado[/TEXTO]”, diz a diretora de Planejamento e Projetos da CET, Luciana Beck. 

Ela ainda destaca que a ideia ainda está sendo estudada junto com a Dersa, responsável pela travessia de balsas. “Queremos ter a certeza de que a proposta atende a todo mundo”. 

Veja Mais