Casa da Esperança de Cubatão paralisa atividades

Funcionários protestam contra a falta de pagamento de salários e benefícios

16/05/2018 - 12:11 - Atualizado em 16/05/2018 - 19:01

Entidade atende a 300 crianças portadoras de necessidades especiais (Foto: Alexsander Ferraz/AT)

Funcionários da Casa da Esperança de Cubatão suspenderam atividades nesta quarta-feira (16) em protesto contra a falta de pagamento de dois meses de salários, 13º do ano passado, vales refeição e alimentação.

O interventor judicial da entidade, Hermes Balula (ex-presidente do Rotary Club de Cubatão)  disse que dependia de verbas prometidas pela Prefeitura para pagar os salários.

Ele não critica os trabalhadores, por entender que “ninguém pode trabalhar sem receber salários para manter as suas famílias”, e estava na expectativa de que a Procuradoria Jurídica da Prefeitura liberasse, durante a manhã, o processo para pagamento dos salários nesta quinta-feira (17). 

Os recursos acabaram sendo liberados no meio da tarde, após a solução de pendências documentais. A Prefeitura assinalou que não teve conhecimento da paralisação e pretende emitir nesta quinta uma nota mais detalhada sobre a situação.

O protesto ocorreu exatamente após a assinatura de contrato firmado em 15 de abril. “A Casa da Esperança de Cubatão é uma associação que tem o respeito da população pelos serviços prestados. Esperamos receptividade dos poderes públicos”, assinala Balula. A Prefeitura de Cubatão anunciou que buscará ainda nesta quinta uma solução para esse impasse.

Atendimento

A Casa da Esperança atende cerca de 300 crianças portadoras de necessidades especiais e já enxugou o quadro para apenas 26 funcionários.

Atualmente há uma demanda de pelo menos 150 crianças à espera de vagas na entidade, que passa por dificuldades financeiras desde o governo municipal anterior, quando foi decretada a intervenção judicial. 

Veja Mais