Caminhoneiros vão bloquear parte do Viaduto da Alemoa nesta quarta-feira

A categoria é contra o aumento semanal do óleo diesel, cobrança dos pedágios e valor do frete; protesto está previsto para ocorrer entre 6h e 18h

15/05/2018 - 20:44 - Atualizado em 15/05/2018 - 20:45

Protesto deve causar congestionamento na Rodovia Anchieta (Carlos Nogueira/AT)

Os caminhoneiros da Baixada Santista paralisam suas atividades nesta quarta-feira (16) e prometem bloquear de modo parcial o Viaduto da Alemoa, no Km 64 da Rodovia Anchieta, principal acesso ao Porto de Santos. A ideia é parar também a entrada e a saída de caminhões das duas margens do Porto. A paralisação tem previsão de 12 horas de duração, com início marcado para as 6 horas. Diante disso, há previsão de congestionamento na rodovia já para o período da manhã. 

Será um protesto contra o aumento semanal do óleo diesel,  cobrança dos eixos erguidos nos pedágios e dos valores dos fretes para a Capital. A categoria reivindica ainda aumento do frete e melhorias dos locais de parada.

De acordo com o Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista (Sindicam), será uma manifestação pacífica. A entidade garante a abertura de uma faixa de circulação para o trânsito.

Para José Cícero Rodrigues, diretor do Sindicam, a manifestação desta quarta é uma forma de chamar a atenção das autoridades para todas as questões apresentadas. “Nenhuma operação irá ocorrer no Porto na quarta-feira (hoje). Nossa ideia é mesmo impactar e mostrar que não estamos satisfeitos. Vamos nos concentrar no Viaduto da Alemoa, bloqueando uma das faixas e liberando a outra para o tráfego”.

Para o diretor-executivo do Sindicato Agências Navegação Marítima Estado São Paulo (Sindamar), José Roque, a manifestação dos caminhoneiros será bastante prejudicial às atividades econômicas da região. “Vai afetar toda a logística (a manifestação). Há cargas para entrar e sair do Porto, há cargas que precisam chegar a São Paulo e tudo isso vai sofrer impacto. Uma manifestação dessa afeta toda a logística”.

Novas ações

Embora o Sindicam ainda não confirme, as manifestações podem se repetir semanalmente. A decisão será tomada em uma assembleia marcada para esta quinta (17). O mais provável é que essa decisão seja confirmada e novos protestos venham a ocorrer.

Veja Mais