Cachorro está amarrado desde manhã na Alemoa, em Santos

Caminhoneiros que trabalham próximo ao local é que têm alimentado o animal

19/05/2017 - 17:42 - Atualizado em 19/05/2017 - 21:44

 

Cachorro foi amarrado a um cano sem água nem comida

Um cachorro está pelo menos desde as 7 horas desta sexta-feira (19) amarrado a um poste na Rua do Meio, próximo ao número 2.001, na Alemoa, em Santos. A denúncia foi feita por profissionais que trabalham em empresas locais e que afirmam não terem conseguido o respaldo de órgãos públicos para retirada e acolhida do animal.

A Prefeitura afirma não ter responsabilidade sobre a situação, que neste caso seria do dono do cachorro. A orientação é que as testemunhas registrem ocorrência na delegacia mais próxima.  

“Liguei para a Ouvidoria da Prefeitura e queriam um monte de dados. Depois entrei em contato com a Coordenadoria de Defesa da Vida Animal (Codevida) e a funcionária me disse que não retiram animais da rua e nem os acolhem. Ela também me informou que não adiantava ligar para a Ouvidoria, pois seria aberta uma reclamação para posteriormente ser analisada e, então, ser repassada para uma última avaliação dos coordenadores da própria Codevida”, contou indignado Ernesto Fernandes, que compra peças de caminhões.

Fernandes diz que os próprios caminhoneiros estão alimentando o animal, que está deixado em um chão molhado e largado às condições do tempo. “Ele está preso a uma coleira de aproximadamente 30 centímetros. Não sabemos quem é o dono, mas nunca o vimos aqui”.

Uma outra pessoa que não quis se identificar, mas que também trabalha perto de onde o animal está amarrado, confirmou que ele está preso desde a manhã de hoje.

Resposta

Em nota, a Prefeitura de Santos informa que a  Ouvidoria, Transparência e Controle (OTC) registrou a ocorrência e que é solicitado, apenas, o CPF para controle de cadastro.

"Todas as pessoas que fazem algum tipo de reclamação da OTP têm seus dados protegidos por sigilo. O descumprimento dessa regra poderá ensejar a aplicações das sanções previstas na Lei nº 4.623, de 12 de junho de 1984 (Estatuto dos Funcionários Públicos Municipais de Santos). O número de telefone é solicitado para eventual contato para maiores esclarecimentos ou tirar dúvidas da reclamação".

A Prefeitura ressalta, também, que a Codevida não faz recolhimento animal. "A competência do órgão é oferecer atendimento médico veterinário e castração gratuitos. A Codevida só realiza atendimentos na rua, em caso de animais vítimas de atropelamento. A responsabilidade do ato é do proprietário e, qualquer pessoa que for testemunha de abandono de animais domésticos ou exóticos, pode registrar a denúncia na delegacia mais próxima".

Veja Mais