Bertioga lança programa de apadrinhamento afetivo

Programa é direcionado a crianças e adolescentes, com chances remotas de adoção ou reintegração familiar

27/07/2018 - 17:23 - Atualizado em 27/07/2018 - 17:31

Estimativa é que existam 15 crianças e adolescentes
aptos a serem apadrinhados (Foto: Divulgação()

Com o objetivo de criar e estimular a manutenção de vínculos afetivos entre famílias e crianças que estão para adoção, a Prefeitura de Bertioga lança na próxima terça-feira (31), às 18 horas, no Sesc Bertioga, o projeto Akitã – Apadrinhamento Afetivo, partindo da iniciativa do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda.  

O programa é direcionado a crianças e adolescentes na faixa etária entre 5 e 17 anos, acolhidos em instituições da Cidade e que possuem vínculos familiares fragilizados ou rompidos, com chances remotas de adoção ou reintegração familiar. A estimativa é que existam cerca de 15 crianças e adolescentes aptos a serem apadrinhados na Cidade. 

O evento é aberto à comunidade e os presentes participarão de roda de conversa com técnicos para tirar todas as dúvidas. No processo de apadrinhamento, depois de manifestar interesse na adoção, os padrinhos passam por entrevistas, e são encaminhados ao Poder Judiciário. Qualquer pessoa acima de 18 anos está apta a apadrinhar.  

Uma das intenções do apadrinhamento afetivo é que a criança possa conhecer como funciona a vida em família. Dessa forma, a criança ou adolescente tem a possibilidade de se relacionar e conviver em outro ambiente. Ou seja, com passeios e outras atividades que o façam conhecer valores que favorecem e podem influenciar em sua formação. 

Veja Mais