Bariátrica pode ser aprovada como tratamento da diabetes tipo 2

O Conselho Federal de Medicina ainda realiza debates sobre o assunto, mas já deu parecer indicativo para a mudança

08/11/2017 - 20:36 - Atualizado em 08/11/2017 - 20:38

 

Procedimento é tido como um tratamento eficaz contra a doença (Shutterstock)

Um parecer do Conselho Federal de Medicina (CFM), publicado na última quarta-feira (1), indica uma possível autorização da cirurgia bariátrica como tratamento de pacientes que sofrem de diabetes mellitos tipo 2. De acordo com o órgão, porém, o assunto ainda está em fase de debate e, assim que os critérios da mudança forem definidos, estes devem ser aprovados em plenário.

O procedimento já é realizado em países como Inglaterra e Estados Unidos, mas ainda é proibido no Brasil, onde são realizadas apenas intervenções para controlar a obesidade de quem tem o Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 35 kg/m² - divisão do peso pelo quadrado da altura – e sofre de comorbidades associadas, como hipertensão e a própria diabetes.

A nova regra pode reduzir o índice do IMC para 30 kg/m². Neste caso, os procedimentos também seriam realizados em pessoas com idade entre 30 e 70 anos, as quais a doença não tenha respondido ao tratamento clínico, com medicamentos, em um período de 10 anos.

Diabetes tipo 2

Trata-se da forma mais comum da doença, atingindo a cerca de 90% dos pacientes. Geralmente, o tipo 2 aparece depois dos 40 anos e está associado à obesidade, ao sedentarismo, à alimentação inadequada e ao estresse.

Ela é uma doença crônica e progressiva que pode causar danos renais, cegueira, surdez, impotência sexual, infarto, amputação de membros e inúmeros outros problemas de saúde.

Tal situação pode ajudar pacientes como a dona de casa Lúcia Helena Rosa Ferraz Rossifini, de 58 anos, que está abaixo dos 35 kg/m², mas sofre com a diabetes Tipo 2.

Há mais de 10 anos ela sente dores nos pés, mas, somente há dois, descobriu que a doença havia afetado os membros. 

“Meu endocrinologista disse que uma neuropatia diabética afetou meus pés. Ele me indicou a procurar um cirurgião bariátrico por quem fui orientada a fazer ou fazer o procedimento.  É a única opção”.

Lúcia perdeu a sensibilidade dos pés e sonha em voltar a ter qualidade de vida para fazer o que os problemas, decorrentes da doença, a impediram, como caminhar e ir à academia.

“Quero ter uma vida normal. Essa cirurgia não é só para quem é obeso. Ela vai ajudar a eliminar alguns quilos, mas o principal é controlar a diabetes”. A expectativa é realizar o procedimento até o final do ano.

Pedido de mudança

A solicitação da cirurgia como tratamento da diabetes mellitos tipo 2 foi feita pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), Colégio Brasileiro de Cirurgiões e Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva.

“Esta medida coloca o Brasil ao lado de outros países que já entenderam a importância de oferecer a cirurgia como opção terapêutica. Evidências científicas comprovam os benefícios da cirurgia metabólica que, a partir de agora, poderá ajudar um número grande de pessoas que sofrem com a diabetes”, declarou o presidente SBCBM, Caetano Marchesini.

14,3 milhões

É o número de pessoas, no Brasil, que convivem com o diabetes, o que representa 9% da população. Nos últimos 10 anos, o índice de brasileiros diagnosticados com a doença cresceu 61,8%. Os dados são da última pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada em abril de 2017 pelo Ministério da Saúde.

Veja Mais