Baixada Santista tem 17 casos suspeitos de febre amarela

Há ainda três mortes que podem ter sido ocasionadas pela doença; um dos casos seria de Itanhaém

08/02/2018 - 13:18 - Atualizado em 08/02/2018 - 13:45

A Baixada Santista tem 17 casos suspeitos de febre amarela sob investigação. Na região, há ainda três mortes que podem ter sido provocadas pela doença. Uma delas teria ocorrido em Itanhaém, na última semana. Os casos foram discutidos em reunião na Diretoria Regional de Saúde, em Santos, nesta quinta-feira (8). 

De acordo com a diretora do grupo de Vigilância Epidemiológica do Estado, Iraty Nunes, que participou da reunião em Santos, por enquanto, todas as ocorrências na Baixada Santista estão sendo investigadas e as notificações não ocorreram apenas para febre amarela, mas, também, para outras doenças. “Esses casos são suspeitos. Estão sendo feitos exames e só após os resultados é que a gente pode afirmar se são ou não”.  Iraty não informou quais as cidades relacionadas aos casos suspeitos.

Até esta quinta-feira, na região, apenas um caso suspeito da doença havia sido informado pelas autoridades. Trata-se de um adolescente de 16 anos, que foi atendido em janeiro na Sociedade Beneficência Portuguesa, em Santos. 

O jovem, morador de São Paulo, ficou entre os dias 7 e 21 de janeiro em um acampamento em São Sebastião das Águas Claras (MG), cidade onde há circulação do vírus da febre amarela. 

No dia 18, ele chegou a ser vacinado contra a doença no próprio acampamento, junto com outras pessoas. Ele veio a Santos no dia 22 para ficar na casa da avó e, no mesmo dia, começou a ter febre de 38ºC. 

Dois dias depois, o jovem foi internado no Hospital Beneficência Portuguesa, onde desconfiou-se de febre amarela. No dia seguinte, a Prefeitura de Santos recebeu a notificação do caso suspeito. 

Na região, pouco mais de 11% da população recebeu a imunização (Foto: Nirley Sena/AT)

Morte em Itanhaém 

O caso mais recente de possível morte por febre amarela foi registrado em Itanhaém. A vítima, de aproximadamente 30 anos, estava internada no Hospital Emílio Ribas, em Guarujá. 

“Trata-se de uma suspeita. Esse caso ainda não foi confirmado. Deve haver um boletim amanhã (sexta,9) emitido pela Secretaria de Saúde do Estado”, afirmou o secretário de Saúde da cidade, Fábio Crivellari Miranda, revelando que o paciente residia em uma área de mata no município. 

“Assim que esse paciente deu entrada em nossa unidade de Pronto Atendimento, com um quadro sugestivo de virose, que inclui-se a febre amarela, ele recebeu atendimento adequado. Foi contra referenciado para um hospital de referência e nossa equipe de vigilância sanitária já iniciou os trabalhos no local de moradia desse paciente”, explicou. 

Ainda conforme o secretário, após a notificação do caso, uma equipe de Vigilância Epidemiológica da Cidade se dirigiu ao bairro onde o morador residia, conscientizando a população sobre a importância da imunização contra a doença. Um posto volante de vacinação contra a febre amarela também foi montado no local. 

Campanha de vacinação

Apesar da vacina ser a única maneira eficaz de evitar a doença, atualmente, pouco mais de 11% do público-alvo da campanha foi imunizado contra a doença. Na região, a meta é imunizar cerca de 1,5 milhão de pessoas até o próximo dia 17. 

De acordo com Iraty, o objetivo, agora, é intensificar a divulgação da campanha entre profissionais de saúde e a população em geral para aumentar a cobertura vacinal. 

Veja Mais