Aposentado de 74 anos se machuca após cair em buraco em via de Santos

Idoso se acidentou em falha na pista da Rua Frei Vital, no Embaré

13/03/2018 - 07:55 - Atualizado em 13/03/2018 - 08:02

Aposentado fraturou dedo ao passar por este buraco, na Rua Frei Vital, no Embaré (Foto: Rogério Soares/AT)

O que era para ser um simples, inocente e habitual passeio de bicicleta no último dia 4 virou um tormento para o aposentado Valdomiro de Assis D’Antonio, de 74 anos.

O pneu da frente estourou quando ele passou – e não estava correndo – por um buraco que não viu na Rua Frei Vital, perto da Avenida Afonso Pena, no Bairro Embaré, em Santos. Ele mora a pouco mais de uma quadra do local, na Rua Torres Homem.

“Passei por cima da bicicleta. Não perdi os sentidos, mas bati a cabeça e o rosto ficou ensanguentado, além do joelho. Não tenho intenção de andar novamente”, relembra. “Fiz hoje (ontem, segunda-feira) tomografia para ver se houve problema (causado) pela batida no rosto”.

O aposentado, que complementa a renda trabalhando como síndico profissional, fraturou o dedo mínimo direito, mas está imobilizado com gesso quase até o cotovelo. “Hoje (ontem) fui trocar o gesso e me disseram que vou ficar mais 30 dias engessado. E sou destro”, conta.

Quem o ajudou foram o aposentado Wilson Júnior e a mulher, Solange, que residem em frente ao local do buraco. “Lavamos com água os locais do corpo ensanguentados, além de darmos um copo com água (a D’Antonio). Fomos andando juntos até a casa dele e levei a bicicleta”, conta Wilson.

Waldomiro, que é destro, precisará ficar com gesso no braço direito por mais 30 dias (Foto: Irandy Ribas/AT)

Problema antigo

Quatro dias antes da queda de Valdomiro, o morador conta que uma mulher caiu de moto pela mesma razão. Mas levantou-se, subiu na motocicleta e seguiu adiante. O problema, porém, é bem mais antigo, conforme atestam outros moradores com os quais A Tribuna falou informalmente.

“O buraco está aberto há, pelo menos, um mês. Mas eu, junto com o vizinho da frente, já chegamos a tapar com entulho, mas não temos nem mais material para isso”, revela Wilson. “Outros moradores já disseram que falaram com a Prefeitura e outros órgãos, para resolver, mas nada”.

Wilson pensa que haja problema na tubulação subterrânea de água. Com vazamento no solo, tornaria o espaço oco e abriria o buraco. “Havia outro, pouco mais à frente, em que o problema era esse, foi resolvido pela Sabesp e nunca mais aconteceu”.

Resposta

Em nota, a Secretaria de Serviços Públicos (Seserp) informou que enviará equipe ao local e, se o conserto couber à Sabesp, procurará a empresa.

A Seserp informou que a Rua Frei Vital está incluída em uma concorrência pública para obras de acessibilidade nessa e em outras 12 vias do Embaré. Dezesseis empresas manifestaram interesse, e a Comissão de Licitação da Prefeitura analisa os documentos delas para verificar se estão aptas a fazer os serviços. A previsão é de que as obras comecem neste semestre.

Conforme a Prefeitura, o trabalho deverá custar R$ 1.843.033,91 e sua execução levará quatro meses.

A verba para os serviços provém do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos (Dadetur), obtida mediante o convênio Calçada para Todos – Etapa 1, firmado com o Governo do Estado.

Veja Mais