Alunos de escolas estaduais da região denunciam falta de docentes

No Primo Ferreira, em Santos, e na Etec de Praia Grande, estudantes estão sem aulas de várias matérias

02/03/2018 - 15:00 - Atualizado em 02/03/2018 - 15:15

Avô de alunos da escola no Marapé afirma que os netos estão sendo liberados mais cedo 
(Foto: Irandy Ribas/AT)

Após um mês do início do ano letivo, alunos de colégios estaduais na Baixada Santista vêm sofrendo com a falta de professores. O problema atinge, ao menos, duas unidades: a Escola Estadual (EE) Primo Ferreira, na Vila Belmiro, em Santos, e a Escola Técnica Estadual (Etec) de Praia Grande.

 

Em vários dias da semana, o neto do aposentado Renato de Matos chega em casa mais cedo. O jovem Rian é aluno do período noturno da EE Primo Ferreira, onde só há aulas de química e filosofia. “Toda sexta-feira, estão mandando os alunos embora antes da hora. Eles estão sem aula de língua portuguesa”, diz.

Renato afirma que sua neta, Ana, que estuda na mesma escola no período da manhã, também enfrenta o problema. “Tem dia que falta professor (nesse período). Os meus netos até fazem parte do grêmio da escola. Já foram reclamar, mas não sei o que está acontecendo”, desabafa.

Preocupação

O avô dos estudantes questiona como é que os alunos vão conseguir fazer um vestibular, se não sabem escrever direito, porque têm aula de português “uma vez ou outra”. “Eles colocam professor eventual, mas não tem conteúdo na aula. O negócio está terrível”, critica.

Renato cobra uma resposta da Secretaria de Estado de Educação. “As autoridades têm que se manifestar. A diretora do Primo Ferreira tem que falar. É um dos colégios mais tradicionais. Foi-se a época em que o colégio Canadá e o Primo eram referência na Educação”.

Praia Grande 

A Tribuna apurou que na Etec de Praia Grande a situação não é diferente. Alunos do primeiro ano do Ensino Médio integrado estão sem professores de inglês, educação física, artes e matemática.

“Meu filho fica sem conteúdos importantes, principalmente para quem está iniciando o Ensino Médio. Fica na escola esperando as outras aulas”, reclama Severino Ferreira, pai de um aluno.

“Estamos em março e o problema de falta de professor continua. Depois, os estudantes ainda terão de repor essas aulas que não aconteceram. Vai atrasar todo o ano letivo”, critica.

Resposta

Por nota, a assessoria de comunicação do Centro Paula Souza, que responde pelas Etecs, informa que os docentes de física, matemática e português já estão trabalhando normalmente. Diz também que um processo para contratação emergencial de professores para as matérias de artes e química está em andamento. 

A Diretoria Regional de Ensino de Santos informa que o quadro de professores na Escola Estadual Professor Primo Ferreira, em Santos, está completo. O órgão estadual diz que não é verdadeira a informação que há dispensa de alunos as sextas-feiras.

Veja Mais