Ex-menino da Vila sonha com acesso pela Portugesa

Cria da base santista, lateral Rafael Ferro quer levar a Briosa para à elite

02/02/2018 - 18:22 - Atualizado em 02/02/2018 - 19:03

Lateral Rafael Ferro (Foto: Alberto Ferreira/Agência Briosa)

Ex-menino da Vila, da geração de Diego e Robinho, ele não teve oportunidade para se firmar no Santos. Mas, anos depois, o lateral-direito Rafael Ferro voltou à Cidade natal com uma missão: ajudar a Portuguesa Santista a subir mais um degrau no seu projeto de retorno à elite do Estado. 

Um dos destaques do time neste início de Série A3 do Campeonato Paulista, o lateral de 33 anos ganhou a tarja de capitão do técnico Sérgio Guedes, já que o atacante Rodriguinho, em recuperação de uma lesão na panturrilha, ainda não estreou na competição. 

Em campo, Rafael Ferro tem correspondido, pela liderança e regularidade. E na última quarta-feira (31) foi premiado com o gol da vitória por 1 a 0 sobre o São Carlos, que levou a Briosa à sétima posição na tabela, dentro da zona de classificação. 

“Para mim tem uma importância maior, porque é meu primeiro gol como profissional na minha cidade, num time que eu acompanho desde pequeno. Meu pai, meu irmão, minha família toda aí, estou muito feliz”, disse o lateral após o jogo, colocando o gol entre os mais importantes da carreira. 

Trajetória que teve início no futsal do Santos e passou para o campo. “Sou da safra de Robinho, Diego, joguei com eles no sub-20 e no profissional. Subi com o Leão, mas não atuei pelo time principal, que tinha o Maurinho”, relembra ele sobre o lateral-direito titular. 


Coração brioso 

Do Santos, Rafael Ferro correu o Interior paulista e passou por clubes do Paraná, Paraíba e Minas Gerais. Este ano, quando recebeu proposta da Briosa, o coração bateu mais forte, pela proximidade que a família tem com o time, apesar de não ter descendência lusitana. 

“Meu pai e meu irmão são frequentadores de Ulrico Mursa, dos tremoços, da cerveja, são tradicionalistas. Estou com filho pequeno, e (o acerto) casou com a minha vontade e da família. Pretendo, se Deus quiser, permanecer na Portuguesa por um bom tempo”. 

Por conhecer o comportamento da torcida local, Ferro conversou com os jogadores após o empate com o Rio Branco na semana passada, em casa, quando um grupo de torcedores cobrou o elenco. “Após o jogo, falei que tudo pode mudar no futebol em três dias. Foi importante para eles saberem como é o torcedor aqui. É ouvir as críticas, mas sem se pressionar, porque naturalmente, como a gente vinha jogando, as coisas iam acontecer”.

Otimista, o lateral sonha alto e quer ajudar a escrever mais um capítulo vitorioso na história rubro-verde. “Quando me apresentei, falei para o Sérgio (Guedes): vamos levar a Portuguesa de volta (à primeira divisão). A gente está com essa meta, tomara que dê tudo certo”.

Veja Mais