Com time reestruturado, Elder espera por dificuldades no Paulista sub-15

Técnico, que já perdeu cinco atletas, vê Palmeiras à frente e briga pelo segundo lugar do grupo 19

06/09/2018 - 14:46 - Atualizado em 06/09/2018 - 16:03

Elder Campos está no terceiro ano à frente do sub-15 da Portuguesa Santista (Foto: Divulgação/Tática Assessoria)

A Portuguesa Santista segue na luta pelo título do Campeonato Paulista sub-15. Nesta sexta-feira, a Briosa estreia na terceira fase do Estadual, contra o Palmeiras, às 10 horas, no estádio Ulrico Mursa, em Santos. 

De acordo com o técnico, Elder Campos, a expectativa é brigar pelo segundo lugar do grupo 19 e avançar para o mata-mata. Além do Verdão, o Rubro-Verde terá pela frente Grêmio Novorizontino, do artilheiro Renan (com 24 gols) e Osvaldo Cruz.

"É um grupo difícil. Já estamos analisando o que tem de melhor nos adversários, colhendo informações, vendo vídeos, para que a gente possa fazer as estratégias dentro de campo e consigamos nosso objetivo de chegar a quarta fase. Vamos buscar. Estamos trabalhando firme para isso. Osvaldo Cruz tem um time de qualidade, Palmeiras, para mim, é o favorito do grupo, junto com o (Grêmio) Novorizontino. Nós vamos brigar com Osvaldo Cruz e Novorizontino pela segunda colocação. Vamos estrear contra o Palmeiras e esperamos fazer um grande jogo para a garotada ter confiança maior no decorrer dos jogos", analisou o treinador.

Além dos adversários, a Portuguesa Santista luta para se reestrtuturar e seguir sendo competitiva no Paulista sub-15. Isso porque, em comparação as primeiras fases, a Briosa já perdeu cinco atletas. Dois estão machucados: o lateral-esquerdo Cadu e o meia Samuel. Já outros três aceitaram propostas de outras equipes. O atacante Thiago foi para o Palmeiras, enquanto o lateral-direito Enzo e o zagueiro Cauã, trocaram o time santista pelo Red Bull Brasil. 

O desfalque poderia ser maior ainda. O artilheiro da Briosa, André, com 11 gols, foi sondado pelo Corinthians, mas não concluiu a transferência para o time de Parque São Jorge. 

"É difícil, um quebra-cabeça. Temos que nos reorganizar para que a equipe esteja dentro de um padrão competitivo. Estava jogando de uma maneira na primeira fase, e eu tive que, dentro das características dos atletas que ficaram, ajustar para que consigamos manter um padrão, um modelo de jogo. Claro que as peças e as características que ficaram são diferentes das que foram. É uma dor de cabeça que eu vejo como aprendizado. É um desafio, mas para eu aprender a lidar com essas situações", disse Elder Campos, que avalia ter perdido 14 atletas para equipes das séries A e B do Campeonato Brasileiro, em três anos à frente do sub-15 da Briosa. 

Apesar das dificuldades com a reestruturação do elenco, o técnico se diz feliz por formar atletas. "Como treinador, que tem por objetivo formar jogador, eu estou feliz. Muito contente pelas saídas, já que nosso papel é relevar atletas para que eles possam se tornar jogadores profissionais. E mesmo perdendo jogadores, mostramos que temos um grupo de qualidade. A gente acabou se reorganizando e conseguindo a vaga (para a terceira fase)", comentou Elder.  

Elder tenta chegar pela segunda vez ao mata-mata do Paulista sub-15 (Foto: Douglas Teixeira/futebolsantista.com.br)

Falta uma categoria sub-20 na Portuguesa Santista

Se por um lado existe a alegria de formar jogadores. Por outro, Elder tem a frustração do trabalho não ser completo. Isso porque a Portuguesa Santista trabalha a base até o sub-17. Na visão do treinador, era necessário ter uma categoria sub-20 para que os atletas tivessem uma projeção maior dentro do próprio clube.

"Infelizmente, a Portuguesa não tem continuidade. Só tem até o sub-17. Deveria ter uma sequência, um sub-20 seria, até para os meninos que ficam, uma projeção, um futuro promissor para eles terem mais a frente. E não acabar o sub-17 e não ter o que fazer. Isso é muito ruim para os atletas", lamentou o técnico.

Elder Campos disse já ter conversado com dirigentes da Briosa, mas o grande problema do clube é a falta de dinheiro para o investimento. Neste ano, a Portuguesa Santista abriu mão de disputar a Copa Paulista justamente pelo custo alto e pouco retorno financeiro da competição.

"Eu falei, inclusive, com o Wladimir (Mattos), que seria interessante ter o sub-20 na Portuguesa para ter uma continuidade do trabalho para a garotada. O próprio  presidente, Emerson (Coelho), que é bem presente, tem acompanhado bastante. Temos colocado para ele que seria bastante interessante ter essa categoria. Só que sabemos que é um custo muito alto em relação a isso. Então, essa a maior dificuldade", finalizou Elder.

Veja Mais