Briosa empata e volta à Série A2 em 2019!

Em jogo tenso, Portuguesa empatou com o Barretos e retorna à segunda divisão após dez anos

20/04/2018 - 21:05 - Atualizado em 21/04/2018 - 01:07

Torcida da Briosa festejou muito a conquista do acesso à segunda divisão do Campeonato Paulista
(Foto: Irandy Ribas/AT) 

A Portuguesa Santista está na Série A2 do Campeonato Paulista de 2019. Na noite desta sexta-feira (20), em Ulrico Mursa, a Briosa garantiu o acesso ao empatar com o Barretos por 1 a 1, em partida válida pelas semifinais da Série A3. Além de carimbar o passaporte à segunda divisão após dez anos (a última participação do time rubro-verde na A2 foi em 2009), os comandados de Sérgio Guedes avançaram à final da competição, que será realizada em jogo único contra o classificado de Atibaia e Capivariano. 

No primeiro jogo, o Atibaia venceu, fora de casa, por 3 a 1. Neste sábado (21), às 11 horas, em Indaiatuba, o Atibaia pode até perder por dois gols de diferença que vai à decisão. A data e o horário da final da Série A3 ainda serão definidos pela Federação Paulista de Futebol (FPF) e a Briosa só não jogará a decisão em Ulrico Mursa caso o Atibaia vença o jogo deste sábado. 

Carlos Alberto, de cabeça, abriu o placar para a Portuguesa aos 17 minutos do primeiro tempo, mas logo no início da etapa final, aos 5 minutos, Batata empatou para o Barretos. 

 Briosa garantiu o acesso ao empatar com o Barretos por 1 a 1 (Foto: Irandy Ribas/AT)

O jogo

Assim que o árbitro iniciou a partida, o incentivo vindo das arquibancadas, que há anos não recebia um público tão bom, não intimidou o Barretos. Precisando da vitória, os visitantes tentaram impor o seu ritmo no campo de ataque e por alguns minutos até conseguiram. Porém, sem efetivamente furar o bloqueio da Briosa. 

Apesar de se expor ao ataque com cautela, foi da Portuguesa Santista a primeira chance de gol, aos 13 minutos. Após investida pelo lado esquerdo, Diego Palhinha serviu Ferro na grande área. O lateral, no entanto, finalizou por cima da meta barretense. 

A oportunidade incendiou de vez Ulrico Mursa. Sob os gritos de "Briosa eô", os donos da casa se organizaram em campo, e aos 17 minutos chegaram ao primeiro gol. Depois de nova jogada pelo lado esquerdo, o bom lateral Rômulo colocou a bola na cabeça de Carlos Alberto. Sozinho na pequena área, o camisa 10 da Portuguesa, cheio de estilo, cabeçou para o fundo das redes. 1 a 0. 

A desvantagem mexeu com o ímpeto do Barretos. Mesmo precisando buscar a virada, os visitantes não conseguiam se lançar com organização ao ataque. Melhor para a Briosa, que, na sequência, teve mais duas oportunidades de ampliar, mas ambas foram desperdiçadas. A mais clara delas, aos 38, nos pés de Diego Palhinha, que, cara a cara com o Willian, finalizou por cima. 

A superioridade técnica da Portuguesa estava explícita em campo. Com um excelente toque de bola, a equipe rubro-verde amassou os barretenses no campo de defesa. À beira do campo, restou ao técnico Paulinho McLaren posicionar os seus atletas para não tomarem o segundo gol e torcer pelo fim do primeiro tempo. 



Etapa final

No intervalo, o técnico do Barretos sacou o meio-campista João Henrique e o atacante Nathan e colocou o zagueiro Gabriel e o também atacante Batata, em seus respectivos lugares. Desta forma, Paulinho McLaren empurrou os laterais para o meio e passou a jogar no 3-5-2. 

A mudança não demorou a surtir efeito. Aos 5 minutos, Hugo cruzou uma bola rasteira que atravessou toda a área da Portuguesa, até morrer nos pés de Batata. Na pequena área, o centroavante empatou o duelo. 

Pensando na vitória, Sérgio Guedes também mexeu na equipe. Sacou Rômulo e Anderson Magrão, e mandou a campo Léo e Rodriguinho. 

Com a igualdade no placar, o jogo ganhou em emoção e nervosismo. Mesmo tendo a vantagem do empate, a Briosa não se acuou na defesa e seguiu criando boas jogadas de ataque. Entretanto, sem o envolvente toque de bola da primeira etapa. 

Brigador, o Barretos tentava chegar ao gol da virada na base do abafa. Entretanto, aos 35, viu a sua empolgação ruir quando Luizinho cometeu falta em Rodriguinho e acabou expulso. Sem outra alternativa, os barretenses passaram a chuveirar a bola na área da Briosa. Em vão. A Portuguesa segurou o empate e subiuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!! 

Emocionado, o técnico Sérgio Guedes resumiu o sentimento de toda a família rubro-verde. "Feliz, estou feliz. Podia ter sido mais tranquilo, mas digno do que a Portuguesa se dispôs a fazer, estou muito orgulhoso. Dado o grau de dificuldades... p... sem palavras, orgulhoso de verdade", vibrou o técnico Sérgio Guedes ao final da partida. 

Ficha técnica

Portuguesa Santista 1: Cleyton; Ferro, Dema, Carlinhos e Rômulo (Léo Felipe); Diogo Lopes, Tufa, Diego Palhinha e Carlos Alberto; Laionel (Léo Gonçalves) e Anderson Magrão (Rodriguinho). Técnico: Sérgio Guedes

Barretos 1: Willian; Gabriel Inocêncio, Eder, Guilherme e Alex Barros; Luizinho, Ualefi, Hugo (Zezinho) e João Henrique (Gabriel); Andre Luiz e Nathan (Batata). Técnico: Paulinho McLraren.

Árbitro: Salim Fende Chavez

Gols: Carlos Alberto, aos 17 minutos do 1º tempo, e Batata, aos 5 minutos do 2º tempo

Cartões Amarelos: Rômulo, Tufa (Portuguesa),  Luizinho e Willian (Barretos)

Cartão vermelho: Luizinho 

Público: 5.772 

Renda: não divulgada 

Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos, nesta quinta (20) à noite 

Veja Mais