Lorena, de 2 anos, quer voltar a andar. Veja como ajudar a menina

Campanha arrecada dinheiro para que a criança, que tem uma malformação, faça o tratamento na Tailândia

09/11/2017 - 07:50 - Atualizado em 09/11/2017 - 08:23

Maria Carolina descobriu a doença de Lorena após o parto  (Foto: Nirley Sena/AT)

A chance de uma menina de dois anos começar a andar está a mais de 17 mil quilômetros de distância da Baixada Santista. Mais precisamente, na Tailândia, para onde uma família de Bertioga sonha em levar a sorridente Lorena Victória, para realizar um transplante de células-troco.

Ela nasceu em janeiro de 2015 com uma malformação congênita na coluna, a mielomeningocele, que faz com que não consiga movimentar nada da cintura para baixo. O problema afeta também o intestino e rins da criança. Além disso, Lorena tem hidrocefalia.

Os pais ficaram sabendo do problema assim que a menina veio ao mundo. “Durante a gravidez, nenhum exame mostrou isso”, conta mãe, a dona de casa Maria Carolina Camilo, de 24 anos.

Os médicos disseram para a família que a criança nunca andaria e nem falaria, mas Lorena, que não para um minuto e tagarela com todos que encontra pela frente, prova que é guerreira. Só no primeiro ano de vida, ela já passou por seis cirurgias.

Luta

Em busca de informação para melhorar a qualidade de vida da filha, Maria Carolina encontrou várias pessoas que foram à Tailândia, na Ásia, para fazer o tratamento e que tiveram bons resultados. “O que é feito aqui no Brasil ainda está em fase experimental. Na Tailândia, eles são referência”.

No Brasil, o transplante de células-tronco só é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em algumas situações, como o tratamento de leucemia, o que não é o caso de Lorena. E o custo do tratamento na Tailândia é alto. Para ir até lá, fazer o transplante e se bancar por quase um mês, a família precisa de R$ 150 mil.

Campanha

Como Carolina deixou o emprego de operadora de caixa para cuidar de Lorena e o salário de vigilante do marido não seria suficiente para os custos da viagem, eles começaram uma ação para juntar dinheiro. É a campanha Juntos pela Lolo, que desde agosto de 2016 já arrecadou R$ 113 mil.

Para chegar ao valor total, eles agora dão um gás nos eventos, bingos e procuram doações. “A gente sonha em vê-la andando, mas só o fato de ela sair das fraldas e ter sua independência na vida adulta já seria um ganho”.

A garotinha, sempre alegre, responde confiante à Reportagem ao falar da viagem: “Lorena vai voar e ficar boa”.

Para colaborar, você pode depositar qualquer quantia na Caixa Econômica Federal, agência 2728, conta 013-22251-3, em nome de Lorena Victoria Camilo Miranda. Mais informações dos eventos ou contatos com a família estão em www.facebook.com/juntospelalolo.

Veja Mais