SP tem duas mortes confirmadas por reação à vacina da febre amarela

Um homem não identificado e uma idosa de 76 anos faleceram. Hospital das Clínicas prioriza grupo de risco

19/01/2018 - 14:50 - Atualizado em 21/01/2018 - 11:36

Um homem e uma idosa morreram com reações
após tomar a vacina (Foto: Divulgação)

Duas pessoas morreram em São Paulo após terem reações causadas pela vacina contra a febre amarela. Uma idosa de 76 anos e um homem, que não foi identificado, não resistiram à dose de imunização. A Secretaria de Saúde acredita que as vítimas já estavam com a imunidade baixa.

Outras três mortes estão sob investigação. O Hospital das Clínicas (HC), um dos principais pontos de vacinação na Capital, alterou a logística de imunização. Agora só tomará a injeção quem comprovar que irá a algum lugar considerado de risco pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para isto, o interessado deve procurar uma Unidade Básica de Sáude (UBS) e comprovar a viagem. No ato da vacina no HC será requisitado uma autorização da UBS e um documento que mostre a reserva do hotel ou o bilhete da passagem.

Alguns grupos não podem tomar a vacina contra a febre amarela. Crianças menores de 9 meses, portadores de câncer, transplantados ou alergia grave a ovo. Para este grupo, é imprescindível que tome outras medidas de proteção como rede de proteção e repelente. Não é recomendado que se passe o produto em crianças com menos de seis meses de idade.

Na região

Na Baixada Santista ainda não foi registrado nenhum caso de febre amarela, mas a OMS já colocou a região como área de risco da epidemia. Em Santos, as doses da vacina acabaram nesta quinta-feira (18), e só devem voltar a ser distribuídas a partir do dia 25. Esta é a segunda vez que a imunização acaba na Cidade. Na última terça-feira (16), as doses também terminaram.

Veja Mais