PSDB deverá votar favoravelmente à intervenção no Rio, diz Alckmin

Além da intervenção, governador diz que é preciso combater o tráfico de drogas e armas

17/02/2018 - 15:00 - Atualizado em 17/02/2018 - 15:08

Liderança tucana ainda não se reuniu para discutir
sobre o tema (Foto: Luis Blanco/ A2img)

O governador de São Paulo e presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, disse neste sábado (17), que seu partido deverá votar na segunda-feira (19), favoravelmente à intervenção militar na Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro. O governador admitiu que a liderança tucana ainda não se reuniu para discutir o tema, mas assegurou que a sigla votará a favor. 

"No PSDB a liderança ainda não se reuniu, mas deverá votar favoravelmente. Tudo que puder ajudar para diminuir a violência e preservar vidas é nosso dever fazê-lo", disse Alckmin em Francisco Morato, município da Região Metropolitana de São Paulo onde deu inicio às obras para construção da Nova Estação de Trem Francisco Morato.

O governador, no entanto, considerou extrema a decisão tomada. "É a primeira vez que há uma intervenção em um Estado na questão da segurança pública. Agora, é um estado de necessidade e, havendo necessidade, há que se agir. Não pode ter omissão", disse.

Na avaliação de Alckmin, além da medida de intervenção, é preciso combater as causas do problema da segurança, que, de acordo com ele, são o tráfico de drogas e armas. "Há um princípio que diz: elimina a causa que o efeito cessa. O problema da segurança é no Brasil inteiro e o que está causando tudo isso é tráfico de drogas e tráfico de armas", reiterou.

Para o governador, é preciso uma ação integrada nacional de inteligência unindo as áreas do governo federal e a inteligência dos Estados. "Sugeri até criar um Ministério da Segurança para se ter foco voltado a isso para enfrentar e vencer o tráfico de drogas e armas", disse.

Veja Mais