Na hora do delivery de pizza, evite misturar sabores muito diferentes

Para reaquecer, a dica é usar uma forma no forno elétrico ou convencional

29/07/2017 - 10:30 - Atualizado em 29/07/2017 - 10:30

A massa grossa é a mais indicada para pedir em casa, pois demora para absorver o recheio (Foto: Shutterstock)

Ela é a queridinha do serviço de delivery. Todo mundo tem em casa cardápios de pizzarias, que são a salvação quando bate aquela fome ou chega uma visita de última hora. Pedir pizza é um delicioso hábito que faz parte de nossas noites. 

Mas sempre surgem dúvidas... Qual é a melhor combinação entre sabores? Dá para misturar salgada e doce? De que forma esquentar? E como servir pizzas para convidados de uma maneira toda especial?

De acordo com o proprietário da Trecento Pizza de Peruíbe, Fábio Alexandre Pinto, não existe uma regra e o gosto do cliente deve prevalecer. Mas, para evitar surpresas, o ideal é não misturar sabores muito diferentes. “É só pedir as pizzas tradicionais”, indica. 

Por exemplo, uma boa combinação na opinião do pizzaiolo da Trecento, Marcos Sá Bispo, é muçarela com quatro queijos. “Mas é possível variar com diversos sabores, inclusive com recheios com mais molhos”, explica, citando que a única ressalva tem a ver com os sabores doces. “Aí não fica bom fazer a mistura, porque um pode matar o gosto do outro”.

No caso dos pedidos em casa, a massa indicada é aquela mais grossa. “Ela demora mais tempo para absorver o recheio”, esclarece Bispo.

Para a consultora de etiqueta e comportamento Claudia Matarazzo, há tantos sabores e combinações disponíveis que a pizza pode ser considerada um dos alimentos mais completos que existem. Ah, Claudia também não vê muitos problemas em misturas, mesmo que elas sejam exóticas. 

“Se der vontade, peça a sua variação preferida, sem se preocupar com purismos de gourmets de fim de semana. Se quiser, vá de Califórnia com pêssego em calda quente ou de peru defumado com catupiri. Acredite: todo mundo vai querer experimentar!”

Bem quentinha

Muitas vezes, o caminho da pizzaria até a nossa casa pode deixar a redonda morna. Como, atualmente, a maioria é feita no forno a lenha, há alguns truques para esquentá-la. 

“Para reaquecer, recomendo usar uma forma no forno elétrico ou convencional, ou uma frigideira preaquecida”, diz Bispo, descartando o uso do micro-ondas e até mesmo da função grill do forno.

Fábio Alexandre Pinto aconselha perguntar sobre as embalagens utilizadas na entrega, para confirmar se são do tipo que ajuda a manter o alimento aquecido. “Uma caixa térmica de qualidade é importante”.

Uma dica valiosa de Claudia Matarazzo: “Para não esfriar, evite deixar as pizzas destampadas ou perto de janelas abertas. O ideal mesmo é colocá-las sobre placas térmicas que são esquentadas no micro- ondas e mantêm o calor por até duas horas. Se tiver esse tipo de utensílio, não tenha preguiça de usá-lo, pois faz a maior diferença”.

Outra dúvida que costuma pairar é sobre a quantidade de pizza que deve ser pedida quando se recebe uma visita. Para calcular corretamente, o dono da Trecento diz que tudo depende do tipo de massa – grossa ou fina –, mas, em média, são três pedaços por pessoa. Na opinião de Claudia, porém, a noite com pizza pode durar um pouco mais e, por isso, ela indica aumentar essa proporção. “Quando há apenas você e mais uma outra pessoa, deve-se calcular meia pizza para cada um. Para três convidados, uma redonda basta”.

No capricho

Aliás, a consultora acredita que é totalmente possível fazer desse momento um encontro bem especial. “Ouço dúvidas de leitores perguntando como receber os amigos para a pizza de domingo. Existem pessoas que acham que não é possível fazer algo bacana, talvez por se tratar de um prato mais simples e barato. A pizza acabou injustamente desvalorizada...” 

Mas, para Claudia, está na hora de corrigir esse erro, uma vez que é perfeitamente possível manter a simplicidade das receitas e ainda acrescentar um certo requinte à reunião. “Experimente e veja como a refeição adquire outra categoria”.

E capricho não pode faltar, é claro. Em primeiro lugar na apresentação: “Em vez de empilhar pratos e talheres à americana, deixe os lugares colocados na mesa. Dá um ar muito mais arrumado, a comida fica até mais saborosa”.

E pode comer com a mão? “Até pode, no entanto é preciso saber como: dobrando o pedaço em dois e evitando fazer isso com os recheios muito cremosos ou picados, que fatalmente se desintegrarão antes de chegar à boca”. 

A consultora ainda recomenda deixar tudo à mão, principalmente os cortadores e espátulas. “É preciso realmente ter um cortador para cada pizza, para que, na hora, todo mundo possa se servir sem ter de esperar e, consequentemente, deixar a comida esfriar”.

Quem quiser pode até pensar em acompanhamentos. “Não precisa servir pizza com outros pratos. Mas, se for um dia quente, uma salada de folhas e tomate com azeite e vinagre balsâmico pode criar um efeito refrescante e é um ótimo contraponto para tanta massa e eventuais misturas de temperos”.

Para beber, refrigerante, água com gás, suco... “Porém, nada impede que você tome também um bom vinho acompanhando a sua redonda (veja toques de harmonização na página 22)”.

É necessário servir sobremesa? “Se você quer algo prático, providenciar uma bandeja com um ótimo cafezinho é uma bela alternativa. E, de quebra, uma lata com biscoitos doces ou chocolates comprados na sua padaria preferida pela manhã. Afinal de contas, é fundamental adoçar a boca e o início da semana, concorda?”, finaliza Claudia.

Tags:
Veja Mais