Hiit será o tipo de treino mais popular em 2018

Metodologia propõe sessões curtas de exercício, com maior queima de gordura. Veja um exemplo

12/12/2017 - 14:38 - Atualizado em 12/12/2017 - 17:09

O hiit não é nenhuma novidade, mas, de um tempo para cá, ele tem ganhado cada vez mais destaque nas academias e nos treinos na praia. E segundo a American College of Sports Medicine, essa metodologia de treinamento será a grande febre do ano que vem.

O motivo? Thiago Arias, diretor técnico do Thiago Arias Personal Studio e um dos consultores do AT Saúde em Forma, explica que o hiit, sigla de high intensity interval training (treinamento intervalado de alta intensidade), tem atendido a busca da maioria das pessoas por atividades físicas diferenciadas, além de proporcionar resultados significativos em um curto espaço de tempo.

“Você não precisa ficar uma hora na academia para fazer o hiit. Ele otimiza o seu tempo”, diz o personal trainer, que cita outros benefícios da metodologia: melhora do condicionamento cardiorrespiratório, diminuição considerável do percentual de gordura e, com isso, um aumento na qualidade de vida.

Fica o alerta: como se trata de um treino mais intenso, o hiit costuma ser bem cansativo. Ele geralmente é bastante utilizado nas atividades mais aeróbicas, principalmente na corrida, na bike e no remo, mas também pode ser aplicado em outras modalidades.

Quer ver só? Dá para fazer um hiit em exercícios com ou sem carga na musculação ou mesmo numa aula de treinamento funcional. “Você pode aplicá-lo em séries de agachamentos, de abdominais e de flexões de braço usando o peso corporal”, exemplifica Arias.


Como funciona?

A dinâmica básica do hiit é a seguinte: o treino deve ser curto, com duração de quatro a 12 minutos. Ele costuma ser dividido em duas ou três sessões.

Em cada uma delas, você dá um tiro de, em média, 20 segundos a um minuto fazendo determinado exercício com o máximo de energia. Na sequência, descansa dez segundos ou um pouco mais – esse intervalo tem de ser definido por um educador físico – e aí vai repetindo tudo de novo.

Em outras palavras, intercala picos de atividade física pesada com repouso.


O hiit é muito usado em exercícios aeróbicos, mas também vale para outras atividades físicas.
(Foto: Shutterstock)


Reflexo no organismo

Arias diz que, devido à alta intensidade atingida no hiit, a tendência é que a frequência cardiovascular e o fluxo sanguíneo fiquem bem acelerados. 

“Como consequência, o gasto calórico pós-exercício é maior. Enquanto um treino convencional faz o seu organismo ficar queimando calorias de três a quatro horas depois da atividade física, com o hiit esse período se prolonga e fica entre seis e sete horas”.


Avaliação essencial

O educador físico lembra que, por mais atraente que o hiit seja, o ideal é ir com calma. Antes de adotar a metodologia, passe por uma avaliação médica, para ver se há qualquer contraindicação, especialmente do ponto de vista cardíaco, já que esse tipo de treino aumenta bastante a frequência do coração.


Exemplo de treino

Para quem está em dia com o check up clínico, Thiago Arias indica um hiit simples, para sentir como é essa metodologia: o treino dura quatro minutos, divididos em oito séries de 30 segundos cada.

Cada série deve ser executada assim: corra com o gás todo durante 20 segundos e descanse por dez. A seguir, repita tudo de novo até completar os quatro minutos. Esse hiit pode ser feito mais de uma vez na semana.


Veja Mais