'Shadow of the Tomb Raider' conclui reboot da saga de Lara Croft com apocalipse maia

O jogo está imperdível e mostra as fragilidades e a infância da heroína. Confira nossa análise

25/09/2018 - 20:03 - Atualizado em 25/09/2018 - 20:03

Shadow of the Tomb Raider fecha a trilogia iniciada em 2013 com uma aventura apocalíptica. Nela, vemos Lara Croft se tornar a habilidosa heroína que tanto amamos e, ao mesmo tempo, conhecemos melhor um lado seu mais frágil, que mostra que, como qualquer ser humano, Lara também tem medos, dúvidas, traumas e erra. 

A atual trilogia de Tomb Raider conseguiu revigorar a famosa franquia, levando a saga de Lara Croft para um outro nível. Desfecho do reboot da série, Shadow of the Tomb Raider é um game imperdível por vários motivos. A começar pela história, que surpreende. 

Desta vez, Lara está em Cozumel, ilha no Caribe mexicano onde investiga as misteriosas operações da Trindade, organização secreta militar com atitudes que misturam a arqueologia com doses, digamos, de fanatismo religioso. 

O grupo busca a localização da chamada Cidade Oculta e da caixa e do punhal deixados pelo povo maia que concedem à pessoa que os utilizar o poder de reconstruir o mundo.

Com a ajuda das anotações de seu falecido pai, Lara encontra o punhal antes da Trindade e, sem querer, dá início ao apocalipse previsto pelos maias. Entendeu agora por que Shadow of the Tomb Raider mostra que nossa heroína também falha? 

A partir daí, vários acontecimentos estranhos começam a atingir o planeta. Isso sem falar que criaturas sanguinárias e mortíferas surgem, para desespero geral.

>> Veja nossa análise em vídeo


No decorrer da aventura, fica claro que este é o game mais sombrio da série. Tanto que, ao entrar na Cidade Oculta, Lara se depara com pilhas de corpos e pessoas presas em gaiolas, prontas para serem sacrificadas. 

Para encontrar esse lugar, é preciso reunir pistas que revelam que a Cidade Oculta, ao contrário do que se pensava, não fica no Brasil e, sim, no Peru, mais exatamente em Paititi, a maior zona de exploração já criada para um game da franquia Tomb Raider.

Infância e personagens secundários

Algo que também agrada bastante em Shadow of the Tomb Raider é o flashback jogável da infância de Lara, na mansão dos Croft, com uma cena tocante entre ela e a mãe. 

Além de aprofundar o lado emocional da heroína, o game ainda conta com personagens secundários bem trabalhados. Entre eles estão Jonah, o grande companheiro de aventuras de Lara, que se interessa por uma garota peruana, e o vilão Dr. Dominguéz, líder do alto conselho da Trindade, que é cultuado quase como um deus pela comunidade de Paititi. 

Nesse povoado, encontramos outro personagem interessante: Unuratu, rainha de Paititi e cunhada de Dominguéz. Ela ajuda Lara a localizar a caixa dos maias e tem um plano para reverter o caos que se aproxima.

Dinâmica de jogo

A dinâmica de Shadow of the Tomb Raider mescla combates com arco e flecha e com armas de fogo, momentos furtivos (stealth), exploração de ambientes e resolução de enigmas. 

As tumbas estão ainda maiores e complexas. Nelas é possível curtir o novo sistema de rapel, que, em alguns instantes, desafia a gravidade. 

A selva é outro cenário bem presente na aventura. Geralmente, há vilas em suas extremidades, com mercados para comprar itens. E a pedido dos fãs, a Square Enix, a Eidos Montreal e a Crystal Dynamics trouxeram de volta as clássicas missões debaixo d’água, com direito a piranhas e outros seres marinhos na sua cola.

Duração

Shadow of the Tomb Raider tem, tranquilamente, conteúdo para mais de 20 horas de diversão, pois, junto aos episódios da história principal, existe um monte de missões secundárias, que só tendem a crescer com as atualizações prometidas pelo season pass. 

Ao longo do game, você ainda encontra acampamentos para fazer Lara evoluir de nível e vai aprendendo três dialetos antigos, que permitem ler tábuas espalhadas pelos sítios arqueológicos.

Gráficos, trilha e bugs...

Faltou falar apenas de como os gráficos estão bonitos. Ricos em detalhes e com efeitos de luz encantadores, os cenários envolvem de tal forma, que ampliam a sensação de imersão criada junto com a trilha sonora de primeira e o sistema equilibrado de controles. 

Mas isso não isenta Shadow of the Tomb Raider de pequenos bugs de programação, que não comprometem o entretenimento oferecido pelo game.

O jogo está disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC, é 100% em português e tem suporte para 4K. Na terça-feira que vem (2/10), você confere mais um vídeo que preparamos sobre a nova aventura de Lara Croft. Não perca!



Veja Mais