Jogos tridimensionais ajudam a evitar doenças cognitivas e até demência

Estudo foi realizado pela Universidade de Montreal com o game 'Super Mario 64'

27/12/2017 - 19:11 - Atualizado em 27/12/2017 - 19:19

Cada vez mais surgem comprovações de como o videogame, quando bem utilizado, pode trazer benefícios para a saúde. Quer ver só? Estudo realizado pela Universidade de Montreal, no Canadá, mostra que curtir jogos tridimensionais, como o famoso Super Mario 64, auxilia na prevenção de doenças cognitivas mais simples até problemas mais graves como a demência.

Mas fica a dica: de acordo com os pesquisadores, para começar a obter esses resultados é preciso ter incluído os jogos 3D no dia a dia há, pelo menos, dois meses.

Para o levantamento foram selecionadas 33 pessoas de 55 a 75 anos. Elas acabaram divididas em três grupos bem distintos: durante seis meses, uma das equipes jogou Super Mario 64 por meia hora cinco dias por semana. Enquanto a segunda turma foi submetida a lições de piano digital e o último grupo não teve de fazer nenhuma atividade em especial.

A conclusão a que os estudiosos chegaram é que games tridimensionais favorecem o aumento da massa cinzenta do hipocampo, região do cérebro que responde pelo sentido espacial e pela memória de longo prazo. Ou seja, área afetada principalmente pela demência e pelo mal de Alzheimer.


Super Mario 64 foi lançado em 1996, para Nintendo 64. (Foto: Reprodução)


Mais resultados

Quem teve aulas de piano digital também apresentou o crescimento de massa cinzenta, só que em outras duas regiões do cérebro: no lobo frontal e no dorsolateral do córtex pré-frontal. 

Com isso, os pesquisadores reforçaram a tese de que a falta de novos aprendizados contribui para a redução da massa cinzenta e, consequentemente, favorece o surgimento de problemas cognitivos conforme se envelhece.

Outros estudos já comprovaram que os games 3D levam ao aumento da massa cinzenta em adultos jovens, mas esta é a primeira vez que tal verificação acontece em pessoas de mais idade.


Veja Mais