E-sports podem aparecer entre os esportes de demonstração das Olimpíadas

Já no Brasil, comissão do Senado aprovou a regulamentação dos esportes eletrônicos

26/04/2018 - 19:59 - Atualizado em 26/04/2018 - 19:59

Os e-sports estão atingindo patamares nunca antes imaginados. Para se ter ideia, os organizadores da Olimpíadas de Paris de 2024, segundo a BBC, estão negociando com a Federação Internacional de E-sports a inclusão dos esportes eletrônicos no evento.

Mas, ao contrário do que o Comitê Olímpico Internacional (COI) havia sinalizado, os e-sports não serão uma modalidade oficial da competição. A ideia agora é que apareçam como um esporte de demonstração.

Outro ponto debatido tem a ver com a inclusão (ou não) de jogos violentos. A maioria dos organizadores se mostra contrária a games como Rainbow Six Siege e Counter-Strike.

No primeiro trimestre de 2018, US$ 2 bilhões já foram investidos nos e-sports. (Foto: Divulgação)

No Brasil

Enquanto isso, aqui no Brasil, a Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado aprovou nesta quarta-feira (25) o projeto para regulamentação dos e-sports. Apresentada pelo senador Roberto Rocha (PSDB-MA) em janeiro, a proposta visa, por exemplo, reconhecer os jogadores profissionais de videogame como atletas e estipular 27 de junho como o Dia do Esporte Eletrônico.

O projeto segue para análise da Comissão de Educação. Se receber mais esse aval, sem emendas, a proposta vai para votação no plenário e, na sequência, será encaminhada para a Câmara dos Deputados.

Investimento bilionário

Se alguém ainda tem dúvida de que os e-sports movimentam muito dinheiro, relatório do site The Esports Observer  mostra que, no primeiro trimestre de 2018, as empresas do setor já investiram US$ 2 bilhões no mercado.

Para termo de comparação, em 2017 inteiro foram destinados US$ 600 milhões aos esportes eletrônicos.

Quer mais? A estimativa é que os e-sports faturem US$ 2 bilhões neste ano – em 2017, o arrecadamento foi de US$ 1,5 bilhão.

Veja Mais