Após seis adiamentos, Ponte Pênsil é reinaugurada em São Vicente

Tombada pelo Condephaat, ela é o acesso mais fácil para mais de 12 mil moradores dos bairros Japuí e Prainha

30/10/2015 - 07:20 - Atualizado em 30/10/2015 - 14:08

Liberação de veículos ocorreu após cerimônia

A espera enfim acabou. Após seis adiamentos, a passagem pela Ponte Pênsil, em São Vicente, foi reaberta na manhã desta sexta-feira (30). A cerimônia de entrega da obra contou com a participação do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que enalteceu a importância da obra para o Município.

Segundo ele, a restauração da ponte foi fundamental tanto para a mobilidade do Município, como para os setores de Segurança e Turismo. Alckmin também destacou que esta foi a quinta restauração de uma ponte suspensa por cabos no mundo.  

“Essa é a primeira ponte pênsil do País. Quando ela foi projetada, nem concreto armado tinha. Tem um grande significado para São Vicente, para a Baixada Santista e para todo o País”, destacou o governador. “O restauro foi feito com segurança para os que transitam pela ponte. Foi separado também para o pedestre, com acessibilidade”, afirmou Alckmin.

Tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico e Artístico Nacional (Condephaat), ela é o acesso mais fácil para mais de 12 mil moradores dos bairros Japuí e Prainha. Enquanto estava em obras, o acesso entre os municípios de São Vicente e Praia Grande era realizado pela Ponte do Mar Pequeno. Com essa liberação, a ligação entre as duas cidades e o Litoral Sul será realizada de forma mais rápida, diminuindo o tempo de percurso dos habitantes da região.

A restauração da ponte, primeira desde sua construção em 1914, se fez necessária após a constatação da ruptura de fios nos cabos de aços originais, por corrosão. Foram trocados 16 cabos de sustentação, que totalizam 256 metros de extensão. Para tanto, uma estrutura foi especialmente construída com o objetivo de manter os cabos provisórios até que o cabeamento definitivo, importado da Itália, fosse colocado.

ver galeria
1/13


Durante a reforma, também foram realizadas obras para reparos das torres, troca do antigo tabuleiro de madeira para um piso menos escorregadio e pintura mais resistente à corrosão (com jateamento).

Apesar de inicialmente a entrega estar prevista em seu centenário, comemorado em maio do ano passado, a ponte permaneceu fechada por 27 meses e os serviços consumiram mais de R$ 33 milhões.

Foram seis adiamentos até entrega das obras

Em visita ao Município no último dia 22, o próprio secretário estadual de Logística e Transportes, Duarte Nogueira, reconheceu que a novela envolvendo a Ponte Pênsil estendeu-se demais. No entanto, informou que o prazo de entrega foi subestimado, e que por se tratar de uma obra complexa, precisaria de pelo menos 24 meses para ser concluída. 

Mesmo com sua reabertura, alguns detalhes ainda ficaram pendentes. Um deles é a iluminação, que ainda depende de uma parceria com a Prefeitura. De imediato, porém, a ponte contará com a manutenção de iluminação atual. A segunda pendência é a entrega da base policial, transferida para o lado do Japuí e cujo projeto foi modificado nos últimos meses, para agrupar serviços da Polícia Militar, Guarda Civil Municipal e Secretaria de Transportes. A previsão é que o equipamento seja entregue em 30 dias. 

Pelo contrato, a construção do novo posto policial é de responsabilidade da Concrejato, empreiteira contratada para a execução dos serviços. 

Ponte Pênsil foi inaugurada em 24 de maio de 1914

História 

A construção da pioneira ponte pênsil do País remete a 1911, quando os pontilhões começaram a ser erguidos. Dez navios trouxeram as peças do equipamento, que vieram da Alemanha. Três anos depois, em 24 de maio de 1914, o então prefeito de São Paulo, Washington Luís Pereira de Sousa, teve a honra de atravessar o acesso em um automóvel.

Apesar de um avanço à mobilidade urbana da época, o equipamento tinha como finalidade conduzir o esgoto a ser lançado na Ponta de Itaipu (área que pertence a Praia Grande). O conjunto de obras faz parte das melhorias adotadas no saneamento da Ilha de São Vicente pelo engenheiro sanitarista Saturnino de Brito, no início do século 20. Integra esse

Depois de quase um século em funcionamento, a ponte teve sua mais radical reforma iniciada. Essa foi a primeira vez que os cabos de aço serão trocados.

Veja Mais