EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

18 de Novembro de 2018

Em almoço, Alckmin e Doria discutem futuro do PSDB

Relação entre os políticos tucanos estava estremecida desde a campanha eleitoral no primeiro turno

O presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, e o governador eleito de São Paulo, João Doria, almoçam nesta quinta-feira (8), no restaurante Piselli, tradicional cantina dos Jardins, para discutir o futuro do partido. Alckmin e Doria defendem posições opostas sobre a participação e apoio do partido ao governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, do PSL.

A relação entre Doria e Alckmin estava estremecida desde a campanha eleitoral no primeiro turno. Na última reunião da Executiva Nacional do PSDB em Brasília, após a eleição, Alckmin chamou Doria de "temerista" e insinuou que ele seria um "traidor".

Na manhã desta quinta-feira, Doria realizou uma entrevista coletiva ao lado dos outros dois governadores eleitos tucanos, Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, e Reinaldo Azambuja, do Mato Grosso do Sul. Ambos defenderam o apoio da legenda ao governo Bolsonaro.

Os três também uniram forças para atuar dentro do PSDB. Leite chegou a defender a antecipação da Convenção Nacional do PSDB para maio. Ela está marcada para dezembro de 2019.

Doria anuncia dois secretários

Ainda nesta quinta-feira, o governador eleito de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou o nome do médico José Henrique Germann para ocupar a secretaria de Saúde, e do produtor rural Gustavo Junqueira para liderar a pasta da Agricultura. Germann é ex-diretor dos hospitais paulistanos Albert Einstein e Sírio Libanês, enquanto Junqueira é ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB).