EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

21 de Novembro de 2018

Testemunha do caso de Daniel, ex-São Paulo, conta que ele foi espancado antes de morrer

Policia não revela detalhes da investigação, mas adianta que ele foi morto por arma branca

Uma testemunha que estava com Daniel, ex-jogador do São Paulo, no dia em que ele foi morto, foi ouvida pela Polícia Civil de São José dos Pinhais e contou que o atleta foi espancado antes de morrer.

Segundo o depoimento, a vítima estava com a testemunha e mais seis pessoas em uma boate. Em determinado momento, o grupo resolveu ir para a casa do suspeito do crime.

Na residência, a esposa do suspeito gritou por "socorro". Em seguida, Daniel foi levado para outro quarto por quatro pessoas e foi espancado. Ainda conforme o depoimento, o jogador pedia para não morrer e sangrava muito, sem condições de se locomover.

Mesmo sem dar detalhes, a polícia indica que a investigação está avançada. Até o momento, a conclusão é de que o atleta foi morto por arma branca.

O caso

O corpo de Daniel foi encontrado no último sábado (27), em um matagal, nas proximidades de São José dos Pinhais, no Paraná. A vítima apresentava cortes graves no pescoço e estava sem o órgão genital.

O ex-jogador, de 24 anos, acumulava passagens por Botafogo e Coritiba. Atualmente, ele tinha contrato com o São Paulo, mas estava emprestado ao São Bento.