EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

19 de Novembro de 2018

Diego Souza, do São Paulo, dedica gol a Bolsonaro e cria polêmica

Atleta se dirigiu até uma câmera, fez a saudação militar e o gesto de disparar uma arma

Diego Souza fez gestos de disparar armas com as mãos (Foto: Thiago Bernardes/Folhapress)

Com uma saudação militar e o gesto de disparar uma arma: foi assim que o atacante do São Paulo Diego Souza comemorou seu gol contra o Flamengo, em homenagem ao presidente eleito Jair Bolsonaro, causando polêmica nas redes sociais.

Depois de marcar o primeiro gol no estádio do Morumbi, onde as duas equipes disputaram a partida, o meia correu para a linha de fundo para comemorar com os companheiros.

Em seguida, se dirigiu até uma câmera, fez a saudação militar e o gesto de disparar para o ar que os admiradores de Bolsonaro costumam fazer. Também foi possível ver que ele falou "meu capitão", em referência à patente do novo presidente brasileiro.

Imediatamente, sua celebração tomou conta do Twitter, com reações favoráveis e contrárias a seu apoio a Bolsonaro.

Diego Souza defendeu seu direito à liberdade de expressão: "Cada um tem a sua opinião em termos de política. Espero que respeitem a minha", afirmou.

O clube São Paulo procurou tomar distância do episódio: "A manifestação do atleta não representa a posição da instituição", afirmou ao site GloboEsporte.

Diego Souza se junta assim ao grupo de jogadores de futebol que demonstram abertamente sua simpatia por Bolsonaro, como já aconteceu com Felipe Melo, do Palmeiras, e nomes de peso como Ronaldinho, Rivaldo, o internacional do Tottenham, Lucas Moura, e os atletas do Corinhians, Roger e Jadson.