EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

21 de Novembro de 2018

Santos vê negociação com Kaio Jorge, revelação da base, emperrar

O estafe do jovem esteve reunido com o presidente do Peixe na semana passada, mas não houve acerto

Revelação da base do Santos, com participações no time profissional, o atacante Kaio Jorge, de apenas 16 anos, tem o futuro indefinido no clube. Na semana passada, o presidente José Carlos Peres esteve reunido com o pai do jovem, Jorge Ramos, e o empresário Giuliano Bertolucci, na Capital, para conversar sobre o primeiro contrato profissional do jogador. Contudo, não houve acerto. 

Kaio Jorge chegou à Vila Belmiro aos 11 anos e está vinculado  por contrato de formação válido até janeiro de 2020.

De acordo com o apurado por A Tribuna On-line, o Santos propôs um contrato até o fim de 2022 com salário de R$ 12 mil e 100% dos direitos econômicos para o clube. Além disso, o jogador ainda receberia bonificações por convocações para as seleções de base, presença no banco de reservas em partidas do elenco profissional, atuações em partidas profissionais, gols marcados e outras metas. Tudo de maneira parecida com o que foi feito com o atacante Rodrygo. 

A proposta, no entanto, não agradou o empresário e o pai de Kaio Jorge. Contudo, em reunião na segunda-feira (5), a direção santista entendeu que chegou ao limite pelo atleta.

Assim, se o estafe do jovem não aceitar o que foi oferecido, Kaio Jorge permanecerá no clube com o contrato de formação, pelo qual recebe R$ 1,2 mil por mês, até o  término do compromisso. Caso isso ocorra, é provável que a divergência termine na Justiça, pois como clube formador o Santos tem prioridade na assinatura do primeiro contrato profissional. 

"Pronto para o profissional"

Procurado, o pai do atacante confirmou a recusa do contrato proposto pelo Santos. Segundo Jorge Ramos, o clube não está valorizando todo o trabalho dele e do seu filho desde a chegada às categorias de base do Peixe e revelou que a renovação não sai porque as partes não se acertam em relação a salários e luvas.

“Na semana passada eles fizeram uma proposta e nós apresentamos a nossa contraproposta. O Santos tem que valorizar o atleta. Tem vários jogadores que chegam na base do Santos e já começam a receber R$50 mil por mês. Para o Kaio, que está no clube desde os 11 anos, não tem essa valorização. Ele acabou de voltar de amistosos com a seleção brasileira sub-17, na Inglaterra, e tem sondagens de times da Europa e do Brasil”, disse. 

Jorge Ramos ainda fez questão de afirmar que não concorda em deixar os 100% dos direitos econômicos do seu filho com o Santos. "Queremos uma porcentagem dos direitos dele. Não é justo dar tudo para o clube. A família fica com o quê?”, acrescenta ele.

Um outro ponto que incomoda Jorge Ramos é a presença de Kaio Jorge nos times de base. Segundo ele, está na hora de o jovem se firmar no elenco profissional. “Eu não gostaria mais de vê-lo no sub-17. Ele já tem mais de 140 gols lá. Está na hora de jogar no profissional”, finalizou o pai do jogador.

No final da tarde desta terça-feira (6), Kaio Jorge foi novamente convocado para defender a seleção brasileira sub-17 em amistosos contra a Argentina, na Granja Comary, e para a disputa de um torneio na Flórida, nos Estados Unidos.