EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

18 de Novembro de 2018

Depois de denúncias, Prefeitura de Santos fecha enfermaria por falta de higiene

Pacientes dividiam quarto com baratas enquanto esperavam vagas em hospitais da região

Depois de uma série de denúncias por conta de problemas estruturais, a Secretaria de Saúde de Santos decidiu, nesta quinta-feira (8), desativar a enfermaria mista do antigo Pronto Socorro Central, localizado ao lado Santa Casa de Santos, que era usado para internar pacientes que aguardavam vagas em hospitais da região.

A decisão vem após diversas reclamações feitas por familiares e acompanhantes de pacientes que estavam sendo atendidos no local, e que afirmaram ter baratas no quarto em que as pessoas estavam internadas. Segundo uma das denunciantes, os insetos já foram encontrados, inclusive, junto com sacolas e itens pessoais dos enfermos.

Quarto hospitalar recebeu denúncias de falta de higiene por ter diversas baratas no local (Foto: Reprodução/ TV Tribuna)

De acordo com a Administração Municipal, a desativação da unidade é definitiva. A intenção era realizar a interdição no final do ano, "mas precisou ser antecipada devido às condições estruturais do imóvel e necessidade de desinsetização".

Ainda segundo a pasta, os 11 pacientes que estavam internados no antigo Pronto Socorro foram transferidos para outras unidades hospitalares ou remanejados para setores do próprio equipamento, que, de acordo com a Prefeitura, "também contam com Sala de Emergência, UTI adulto, outros 24 leitos de enfermaria, laboratório e salas administrativas".

Em entrevista à TV Tribuna, o chefe do departamento de Atenção Hospitalar da Prefeitura de Santos, Adriano Catapreta, afirmou que a última dedetização do espaço foi realiza em setembro. Além disso, Catapreta explicou que os transtornos eram decorrentes de uma obra na Santa Casa de Santos, a qual o prédio fica ao lado do antigo PS.

Má infraestrutura

Além do problema das baratas, houve reclamações sobre equipamentos como o ar-condicionado, que não funciona e da estrutura precária do antigo Pronto Socorro Central. Um exemplo é um aviso que havia na parede do quarto onde ficava os internados, que recomenda que os interruptores de luz não fossem ligados devido ao rompimento de um cano de água.

Reparos

Segundo a Prefeitura, serão realizados reparos na estrutura do espaço, que atualmente é compatilhado entre a Santa Casa de Santos e a Administração Municipal. "O Pronto Socorro tem 790 m² e passará por reforma geral e adequações a cargo da Santa Casa, que já iniciou algumas intervenções como retirada de antigos aparelhos de ar-condicionado, de mobiliário e portas da recepção".

Além disso, ficou determinado que mais de 500 m² ficarão em posse da Santa Casa, que deverá utilizar o espaço como pronto-socorro. O espaço restante ficará para o Municío, que usará o local para repouso dos funcionários, almoxarifado, sala de materiais, copa e sala dos funcionários do Samu.

Uma nova sala de emergência está sendo feita pela Santa Casa de Santos, com 13 leitos. A previsão é de que o novo espaço comece funcionar em janeiro de 2019, para atendimento SUS.