O anel viário que distribuirá o fluxo de veículos entre o Planalto e a Baixada Santista, junto ao principal acesso a Cubatão, será entregue pela Ecovias em setembro. Com seis novos viadutos interligando as rodovias Anchieta, Cônego Domênico Rangoni e Padre Manuel da Nóbrega, o complexo promete disciplinar o trânsito e facilitar o acesso dos caminhoneiros às margens do Porto e ao Polo Industrial, e dos turistas às praias do Litoral Paulista.

A informação foi divulgada pelo coordenador de planejamento da Ecovias, Ronald Marangon, durante o 5º Fórum Acontece de Sustentabilidade, realizado na última terça-feira, no auditório do Cine Roxy, no Novo Anilinas.
 
Marangon informou ainda que as obras para a criação da terceira faixa nas duas pistas da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, do km 262 ao km 270, também estão em ritmo acelerado. "Aumentaremos em 50% o fluxo de veículos nesse trecho de oito quilômetros", disse, acrescentando que os trabalhos serão concluídos este ano.

Já quem passa por Cubatão rumo aos municípios do Litoral Norte contará com novo acesso à BR-101 a partir de novembro. A Ecovias está construindo um viaduto na altura do km 248,5 da Domênico Rangoni para eliminar o semáforo existente na intersecção.

Marangon informou que está em estudo a construção de novos acessos ao Porto de Santos, na Rodovia Anchieta, inclusive com a construção de uma interligação entre as margens Alemoa/Ilha Barnabé. "A construção do túnel ligando Santos a Guarujá não interfere nesse projeto".

Outra obra de porte que deve melhorar o trânsito na região é a duplicação da Rodovia dos Imigrantes na Baixada, incluindo o trecho que passa pela Ilha Caraguatá, em Cubatão, a ponte sobre o Rio Casqueiro e seu prolongamento por São Vicente, hoje repleto de semáforos. Esta obra está a cargo do DER, assim como a duplicação do viaduto Rubens Paiva, principal acesso do Jardim Casqueiro aos bairros centrais de Cubatão.